“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”  Isaías 9.6

A descrição que Isaías faz do nome de Jesus é incomparável. “O que é falado a respeito dele ultrapassa os limites humanos comuns” (Ridderbos). Seu nome é tão glorioso que não pode ser resumido em uma só palavra, por isso recebe cinco títulos, e cada um ressalta uma verdade sobre a pessoa de Cristo.

1. Maravilhoso. Ele ultrapassa os limites da compreensão e da existência humana. Sabe quando você vê algo ou alguém que lhe causa grande admiração, deslumbramento ou fascínio e não consegue expressar o que está vendo ou sentindo, então chama isso de “maravilhoso”, como sinônimo de “não tenho palavras para expressar o que vejo e sinto”. Assim é o nome de Jesus.

2. Conselheiro. O próprio Isaías profetizou que sobre Jesus repousaria o “Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento” (Is 11.2). Como Rei, Jesus tem os conselhos sábios que são necessários para exercer Seu ofício real.

3. Deus Forte.  Como judeu, Isaías jamais teria chamado esse menino de Deus se Ele de fato não o fosse. É um dos importantes textos do Antigo Testamento que comprova a natureza divina de Jesus Cristo. E por ser “forte”, isto é, Todo-Poderoso, Ele protege o Seu povo de todos os inimigos (Mt 16.19).

4. Pai da Eternidade. O sentido é de Alguém que “possui a eternidade”.  Devemos lembrar que o anjo disse à Maria: “Ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim” (Lc 1.33). A conclusão é bem simples: Seu reinado não terá fim, porque Ele é eterno.

5. Príncipe da Paz. A paz na Bíblia não é apenas ausência de guerra ou de angústia. Além disso, paz (shalom) também quer dizer salvação, bênçãos e felicidade. Paulo afirmou que Jesus Cristo é a nossa paz (Ef 2.14).  E o próprio Jesus disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo…” (Jo 14.27).

Essa declaração profética sobre o nome de Jesus nos faz lembrar da afirmação do apóstolo Paulo em Filipenses 2.9: “Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome”. Devido à grandeza do incomparável nome de Jesus precisamos refletir mais sobre a verdadeira natureza do menino do Natal, essa criança milagrosa.

Pr. José Humberto
Editora Cristã Evangélica
São José dos Campos-SP