“Entrega teu caminho ao Senhor, confia Nele e o mais Ele fará” Sl. 37.5

Dias atrás ao renovar minha CNH – Carteira nacional de Habilitação – passei por uma experiência inusitada. Após fazer exame médico e tirar foto para minha identificação, fui surpreendido pela obrigatoriedade de fazer exame toxicológico, exigência legal por pertencer à categoria que permite dirigir veículos com maior capacidade de carga. Apesar de não fazer uso dessa modalidade, decidi por fazer; não perderia o benefício conquistado há muitos anos.

Infelizmente é comum motoristas de veículos pesados fazerem uso de substâncias psicoativas. Além do álcool (droga lícita), as drogas ilícitas mais utilizadas por eles são a anfetamina (rebites), a cocaína (na forma de pó ou crack) e a maconha. As anfetaminas e a cocaína são utilizadas por motoristas para se manterem acordados por muitas horas, pois estão propensos a dormir ao volante

Já no laboratório, enquanto aguardava para ser atendido, o telefone tocou e não deixei de perceber o assunto do cliente com a recepcionista. Pelo diálogo vi que o cliente já conhecia o exame e necessitaria repeti-lo, acredito que por fazer uso de alguma substância – provavelmente ilícita. Ele procurava justificar alguma coisa, articulando ainda a possibilidade de o laboratório “ajeitar” uma possível alteração no resultado.

Encerrada a ligação, a recepcionista com fisionomia de desaprovação, fez o seguinte comentário: “Cada uma que me aparece…!”. Em seguida voltando a atenção para o meu atendimento, explicou-me que seria coletada uma amostra de pelos das pernas, lacrada e enviada para análise em São Paulo; esse exame detectaria vestígios de substâncias ilícitas de que eu possa ter feito uso nos últimos três meses, e o resultado seria encaminhado diretamente ao Detran de Goiás.

. Ao sair do laboratório, apesar de constrangido por me rasparem as pernas, fui tomado por uma sensação de gratidão e paz, com a certeza de que o resultado seria plenamente favorável à revalidação de minha carteira; em sequencia me veio à memória o início do caminhar que me levou a Cristo.

Vivenciei uma separação traumática, em que a ex-esposa, de posse da guarda em juízo, levou meus filhos ainda crianças para morarem nos EUA. Subitamente minha rotina de vida desmoronou; na época, fui aconselhado por “amigos”, a seguir um caminho antigo que já conhecia:  “Sai dessa vida”, “vai pra balada”, “vamos tomar umas”, “aproveite que você agora tem liberdade”. Esse é o caminho de muitos homens e mulheres após a falência no casamento.

Porém, havia um sentido oposto a esse; novos amigos indicavam para mim uma nova experiência, um novo caminho em direção a um Cristo que não conhecia: “Vamos ao culto”, “vamos orar”, “vamos à vigília”, “Deus vai restaurar”. Decidi então pelo novo caminho. Aos poucos Deus foi me transformando e os resultados foram aparecendo; Bênçãos por essa escolha feita vieram sobre minha vida; meus filhos vieram morar comigo; tornei-me um Pai diferente, mais participativo e preocupado com meus filhos. Abri uma empresa que tem sido bem-sucedida; juntaram-se a mim novos e bons amigos que me ajudaram a firmar meu novo caminhar; com o tempo Deus me concedeu um novo casamento, com uma esposa idônea e sábia, acompanhada de dois novos filhos – Sophia e Matheus – e nesse mês de outubro comemoramos 10 anos de casados. Acrescentados a tudo uma sensação de segurança, fé e amor que foi se enraizando em mim.

Coincidências a parte, DEUS me levou a congregar em uma Igreja onde o pastor local passou por problema semelhante ao meu – até leva o mesmo nome “Sérgio”; uma igreja que me abraçou e me respeitou com os erros do passado, me dando oportunidade de congregar, crescer espiritualmente e desenvolver meus dons, confirmando assim a palavra descrita no Salmo 18: 30: “Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito; a promessa do Senhor é provada; Ele é um escudo para todos aqueles que Nele buscam abrigo.”

Não sei sobre o meu futuro; sei que ele a Deus pertence. Tenho a certeza que lá atrás optei pelo MELHOR CAMINHO, o de entregar minha vida a Ele, de confiar e ter a certeza de que o melhor Ele fez e faz por mim. Sl. 37:5.

E você, já encontrou o melhor caminho?

Sérgio Eduardo Lousan