O livro de Neemias pode ser considerado como uma continuação dos livros de 1º e 2º Crônicas e Esdras. O período coberto pelos livros de Esdras e Neemias é de cerca de 110 anos. A reconstrução do templo por Zorobabel levou 20 anos. Cerca de 60 anos depois do templo ativo, Esdras vai a Jerusalém e promove um forte despertar religioso através do ensino da lei e o culto. Neemias, 13 anos depois, ao receber notícias de que Jerusalém, encontrava-se ainda abandonada e desguarnecida gerará um movimento para construir os muros. Ele foi a Jerusalém em 445 a.C, como governador, catorze anos depois da expedição de Esdras.

Além dos profetas Ageu e Zacarias, provavelmente Malaquias tenha profetizado durante aquela época. Assim, Neemias, Malaquias e esses profetas trabalharam juntos para erradicar o mal que significava o culto a muitos deuses e atacaram o pecado da associação dos judeus com o povo que foi trazido a força pelos assírios para recolonizar aquelas regiões cerca de 200 anos antes.

O Livro de Neemias registra a restauração de Jerusalém sob sua liderança, e nos revela que Deus restaurou seu povo repetida e continuamente. Neemias nos ensina a planejar nosso trabalho, organizar o tempo e os recursos, integrar nossa tarefa com a tarefa de outros, e ainda a avaliar os resultados.

RESUMO HISTÓRICO: Por causa da ruptura do reino do Norte com a Lei e o templo, as dez tribos foram destruídas pela Assíria que os levou para o cativeiro e desapareceram da história como reino por volta de 722 a.c.

CATIVEIRO DE JUDÁ: Em 586 a.c. foi a queda do reino do sul. Pela infidelidade e idolatria, veio Nabucodonosor, incendiou Jerusalém, derribou seus muros, e destruiu o templo. Em seguida, levou os sobreviventes para o cativeiro na babilônia, onde permaneceriam durante 70 anos.

(Jr 25:11) – “E toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto, e estas nações servirão ao rei da Babilônia setenta anos.