MUITO OBRIGADO, MEU DEUS!

“Então, Jesus lhe perguntou: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?” (Lucas 17:17-18)

É comum ver os jogadores de futebol apontando para o céu e agradecendo após assinalarem um gol. Esse gesto para muitos é algo bom por reforçar a ideia de que existe “alguém” acima de nós que participa em todos os momentos da nossa vida.

Anos atrás, às vésperas do início da Copa de 2010, a FIFA proibiu toda e qualquer manifestação religiosa por parte dos jogadores dentro dos gramados. Já na copa de 2002, após o jogo final contra a Alemanha – vencido pelo Brasil por 2 a 0 – jogadores e Comissão Técnica do Brasil se reuniram no gramado do estádio de Yokohama e, ajoelhados, fizeram uma oração. A atitude desagradou à cúpula da Fifa que declarou não desejar que seitas e credos diversos venham a se servir do futebol para angariar novos adeptos. 

Deus não joga nem torce por futebol. Ele não determina ganhadores ou perdedores no esporte. Ele participa da vida de todos, e a sombra de Sua mão nos torna aptos a realizarmos o melhor de nós naquilo que cada um escolheu ou foi chamado a viver ou ser. Erguer as mãos para céu é apenas uma expressão de gratidão.

A gratidão é um sentimento nobre, muito valorizado por Jesus por ocasião da cura de dez leprosos. Nós humanos, sabemos muito reclamar e pedir, mas não achamos hora, nem jeito de dizer a Deus duas palavras muito simples: “Muito obrigado!”

Na maioria das vezes, não percebemos a necessidade de agradecer as pequenas coisas através das quais Ele nos abençoa e enriquece continuamente. Deus é realmente maravilhoso por causa das coisas grandiosas, mas Ele também O é por pensar e cuidar de nós através dos pequenos gestos e detalhes.

Temos a tendência de enxergar e valorizar apenas as grandes bênçãos. Quando nos pedem um testemunho que demonstre o cuidado de Deus, buscamos falar das coisas espetaculares que causariam assombro. Nunca mencionamos coisas simples, como a bênção de estar com a vida caminhando; de ter saído e voltado em paz no dia de hoje, e outras coisas do gênero. A grande maioria tem dificuldades de perceber uma única “coisa” que poderia demonstrar este cuidado divino por sua vida.

Na cura dos dez leprosos criticamos os nove que, cheios de satisfação, viraram as costas para o Senhor e foram desfrutar da preciosa bênção recebida. Achamos o cúmulo a ingratidão daqueles homens que, recebendo tanto de uma vez, não fizeram qualquer menção de agradecer. Mas todos nós, continuamente, recebemos muito de Deus, hora em pequenas doses, hora de uma vez, e também padecemos do mesmo mal.

De início pode parecer banal alguém fazer o “sinal da cruz” antes do jogo, ou apontar para o céu no momento do gol. Pode parecer estranho dizer a Deus “muito obrigado” por coisas que eu mesmo fiz. Chega a parecer mesmo bobo e desnecessário. Mas lembrar-se de Deus quando toda a honra e glória são dadas a nós é um gesto de humildade e sabedoria.

Deus nos cerca nos grandes livramentos ou milagres indescritíveis. Mas também nas coisas insignificantes, ou mesmo invisíveis podemos perceber Seu cuidado contínuo. Tudo vem Dele. Tudo é mantido por Ele. O fato de estarmos vivos é o suficiente para agradecermos minuto a minuto. Se seus olhos são capazes de “enxergar” este texto dê graças a Deus. Do momento que você começou esta leitura seu coração já bateu cerca de 200 vezes e seu rim já filtrou um punhado de sangue; muitas células velhas do seu sangue foram trocadas, vários micróbios foram destruídos e diversos hormônios foram sintetizados; seus cabelos e unhas cresceram; seus músculos produziram calor para manter seu corpo aquecido; seu cérebro armazenou o significado de cada palavra e coordenou uma série de pequenos milagres para que este simples texto pudesse ser visto e entendido por você neste instante.

Parece comum tudo isso. Ler este boletim parece algo tão simples que não se deveria agradecer a Deus por isso. Mas este momento está cercado de milhares e milhares de maravilhas. Imagine as outras coisas que nos parecem grandiosas e espetaculares.

Desfrutar da vida e da fé são milagres que usufruirmos a todo instante. Não há como detalhá-los ou expressá-los. É muito mais do que se pode compreender.

O melhor a fazer é viver louvando e caminhar de joelhos.

Pr. Sérgio de Oliveira Campos