Vai um “futuro” aí?!

“Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem primeiro revelar o seu segredo aos seus servos, os profetas”


Amós 3:7

Eu aguardava no posto de combustível pela minha vez de abastecer o carro, e aproximou-se de mim uma cigana com uma criança “enganchada” no seu flanco. Ela se dirigiu a mim perguntando se poderia ler a minha mão. Reforçou que revelaria meu passado, meu presente e meu futuro. Disse-lhe que não era necessário. Meu passado e meu presente eu já sabia; e meu futuro, a Deus pertencia. Mas ela insistiu:
– Deixa eu ler… pelo leite da criança…
– O leite dela eu te dou… mas ler minha mão… não!

Dei-lhe um valor maior do que ela precisava para o leite, mas não permiti que sementes erradas fossem lançadas em minha mente. A adivinhação sempre foi buscada pelos homens e condenada por Deus. Quem se envereda nesse tipo de prática, não percebe o mal que causa e termina enroscado nas armadilhas do diabo. No início do ano é comum aparecerem pessoas que se intitulam astrólogas, videntes ou adivinhas. Através da observação dos astros, cartas de tarô ou lançar dos búzios, estas pessoas apresentam suas previsões para o ano novo. Alguns, na tentativa de adquirir mais credibilidade, registram suas previsões em cartório, para assegurar a autoria caso se cumpram.


Desde os tempos mais remotos, o homem busca descobrir o futuro através de práticas obscuras e ocultas. Vemos no Antigo Testamento, textos escritos há mais de 3.500 anos que Deus proíbe tais experiências. Aqueles que buscaram essas revelações e adivinhações sempre acabavam enredadas pelo engano. Estes “paranormais” são grandes mestres na revelação do passado. Quando alguém os procura em busca do futuro, eles, de início, adivinham o passado, revelando detalhes sobre o que já foi vivido. Portando, fique atento quem está revelando: o passado e o presente são de inteiro conhecimento do Diabo. Por isso, não se espante quando alguém revelá-los para você. Conquistando desta forma sua confiança – ou diminuindo sua desconfiança – ele vai tentar interferir e perturbar o seu futuro.


Se pudéssemos conhecer alguns fatos relativos ao nosso futuro; quais informações nos seriam de grande importância? Saber com quem se casaria? Que profissão desempenharia? Se seria rico ou pobre? Se você descobrisse o dia ou a causa da sua morte, isso te traria mais tranquilidade ou inquietação? Conhecer o futuro, seria algo positivo ou negativo para os homens? Qual uso fariam eles se conhecessem seu futuro? Deus não permitiu tal conhecimento, certamente porque a maldade humana não teria limites (Deuteronômio 29: 29).


O futuro pertence a Deus, mas Ele não nos deixou às cegas sobre a terra. Muito do que já aconteceu, está acontecendo ou irá acontecer está registrado na Bíblia Sagrada. Está acessível a todos, sem armadilhas ou enganos. Este livro revela o futuro glorioso reservado àqueles que conhecem a Deus e obedecem aos seus ensinos, bem como aponta sinais seguros para os que desejam entender e participar da história divina para o mundo.


As revelações que não procedem da Bíblia não são seguras, próprias ou permitidas. Deus proibiu, por exemplo, que se consultasse os mortos ou forças ocultas por causa dos enganos que esses espíritos vaguejantes pronunciam. Mortos nunca se comunicam com vivos, mas algo se expressa como se fossem eles… e há quem confie plenamente nisso. (Hebreus 9: 27) O futuro previsto fora de Deus é um imediatismo ilusório; é como uma isca que recobre o anzol; apresenta-se a nós como uma resposta pronta e verdadeira às nossas necessidades, mas o propósito final é um gancho aprisionador.


Pensei na sutileza da proposta da cigana. Seria apenas pelo leite da criança. Pareceu-me a serpente oferecendo a Eva uma inofensiva mordida no fruto proibido. Deus é especialista em passados ou futuros. Nosso Deus é Eterno. (Salmo 90: 2) Ele é o criador do tempo. Aliás, Ele é perdoador do passado e promotor do futuro. A vida eterna faz parte do plano gracioso que nos é oferecido todos os dias. Não precisamos de cartomante ou adivinhos. Deus nos basta. (Lamentações 3:24)
Resta-nos, apenas, descansar a alma e gozar o presente!
Estamos em excelentes mãos…!
Pr. Sérgio de Oliveira Campos