A Igreja Metodista é como uma velha oliveira. Ela tem coisas novas que brotaram sobre tradições e raízes bem antigas. Essa é uma grande riqueza: renovar em cada cultura e tempo o que fez do movimento metodista na Inglaterra do século 18 uma “árvore” frondosa que continua aprofundando raízes e estendendo seus ramos sobre a terra.