“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as
tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra
nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma”.
Eclesiastes 9:10

                Não sou um gênio, nem consegui aprender tudo o que poderia e deveria. Mas na minha pouca ciência, as vezes acho que os homens “navegam” por certas ideias malucas, como viajar no tempo (para o passado ou futuro) e da existência dos tais “universos paralelos”.

                Difíceis de entender, são muito mais difíceis de explicar. Universos paralelos, também conhecidos como meta-universos ou multiversos, seriam um grupo de universos gêmeos teóricos que coexistem ao mesmo tempo que o nosso. Dizem que são simples variações de nossa realidade, todas funcionando ao mesmo tempo em diferentes realidades. Assim, da mesma forma que na mesma televisão existem diferentes canais, haveria diferentes mundos paralelos que apenas vibram em frequências diferentes.

                Então, uma explicação hipotética vai dando suporte a outras ideias malucas nos homens ditos inteligentes. Quando se discute, por exemplo, as imensas distâncias cósmicas que inviabilizam as supostas viagens pela nossa galáxia, aqueles que acreditam em discos voadores argumentam:

                – Esses seres extraterrestres viajam através de universos paralelos. Existiriam matérias que “vibram” em frequências diferentes, e nós podemos mudar de universo como mudamos as sintonias de um rádio girando apenas um botão”.

                Muita gente também “viaja pela imaginação” no universo da fé. Acreditam que nossa conversão a Cristo crie um mundo paralelo aos que nascem de novo, e que não mais seriamos afetados pelos problemas terrestres, implantados em outro universo, sem dificuldades e perdas, já vivendo o céu na terra, pois Jesus levou tudo isso com ele na cruz.

                Nesses dias de pandemia me encontrei entre dois extremos: teorias da conspiração, onde chineses criaram um vírus para dominarem o mundo, ou que o “sangue de Cristo foi passado sobre nossas vidas” e estamos imunes a todo mal, e apenas a fé vencerá o contágio. Tais ideias são divagações no mundo da imaginação, pois a terra é real, a doença é real, e precisamos caminhar sobre um chão palpável de verdades, e não nas fantasias.

                Até que me provem o contrário, esses universos paralelos físicos ou espirituais não existem. O mundo concreto é esse que vivo, e viver é enfrenta-lo em todos os seus desafios e limites. Esse é meu chão, e conto com a presença de Deus nele todo o tempo. Jesus deixou Sua glória para viver as realidades desse mundo, e experimentar a vida real de cada um de nós. Por isso ele entende as dores e lutas dos seres humanos por ter vivido como um deles.

Cristo deixou-nos os parâmetros de uma vida humana segundo o propósito de Deus. Ele não fugiu para mundos paralelos, mas enfrentou esse, caminhando por ele, pregando o evangelho do reino, anunciando a paz de Deus para todos os homens. E ao final de seu convívio com os discípulos ele deixou um rastro a ser seguido:

                 Entretanto, haverá no futuro um tempo de separação em mundos paralelos. Dois grupos de pessoas irão para lugares opostos. E isso apenas após o julgamento divino. Antes não. Até lá, todos estaremos juntos, sujeitos às mesmas dificuldades.

“Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda; então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo… Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”. – Mateus 25:31-41

                Estar à esquerda ou à direita do Filho do Homem será uma escolha nossa, e não dele.

  Pr. Sérgio de Oliveira Campos